Pensar positivamente produz melhor aparência e melhor disposição de ânimo

Como vivemos tão preocupados com os espelhos, perdemos a noção de nossas muitas outras virtudes. Cometemos o erro de comparar quem somos com quem parecemos ser. Mas, afinal, uma sensação duradoura de atração pessoal não pode ser baseada somente na aparência. Não provém diretamente da beleza ou mesmo das boas ações, mas de bons pensamentos – pensamentos racionais, realistas e gratificantes.

Neste segmento, vou mostrar-lhe como você pode se sentir melhor em relação ao próprio corpo, pensando nele de maneira positiva. Se você fica frequentemente constrangido ou deprimido por sua aparência, estes sentimentos podem provir de pensamentos equivocados sobre a imagem física. Seus sentimentos são reais, mas não são baseados na verdade absoluta sobre sua aparência. Também não são a única maneira de sentir.

Uma premissa básica da terapia cognitiva é que seus pensamentos influenciam sua maneira de sentir. Os sentimentos não flutuam no ar rarefeito. Estão ancorados nos processos cognitivos (que é apensar outro nome para os pensamentos). Lynn diz que às vezes sente-se pior ao se olhar no espelho. Entretanto, não é o ato de olhar, mas o ato de pensar, que cria seus sentimentos negativos.

Erros cognitivos

Provavelmente, você sabe que duas pessoas podem interpretar um acontecimento similar de forma absolutamente diferente. E as explicações de uma podem ser mais exatas ou mais esclarecedoras que as da outra. As interpretações equivocadas das experiências são denominadas erros cognitivos. São erros, porque são ilógicos, não-comprovados, exagerados ou apenas simplesmente errados. Se um erro cognitivo vira hábito, você pode persistir nele até quando está diante de uma evidência em contrário.

Os erros cognitivos podem ter um grande impacto sobre a imagem física. Lembre-se, por exemplo, de que, no capítulo anterior. Susan acreditava-se indigna de ser amada, a menos que tivesse uma aparência perfeita. Suas conclusões equivocadas não se baseavam em fatos, mas a aterrorizavam e deprimiam. Do mesmo modo, o constrangimento de Lynn tinha sua origem no erro cognitivo de pensar que as pessoas estão extremamente preocupadas com a aparência dela quando na realidade não estão. Cometemos erros cognitivos o tempo todo. Eis uma relação dos tipos comuns de erros que podem conduzir muitas pessoas a problemas de imagem física.

Pensar de maneira radical. Classificar as coisas em categorias radicais, julgando-as muito boas ou muito ruins. Se você não se coloca na categoria muito boa, automaticamente se rotula como um total fracasso.

Exemplo: “Jamais serei tão bonito(a) como meu amigo(a)”

Rejeitar pensamentos positivos. Ignorar ou rejeitar a evidência de que você está realmente bem. Portanto, pode continuar acreditando que não está bem e jamais estará.

Exemplo: “Me falaram que eu estou bonito(a). Mas só estavam sendo gentil”

Pensar em “possibilidades”. Fazer exigências irrazoáveis sobre si mesma e sobre os outros. Estas “possibilidades” só conduzem a sentimentos de culpa, raiva e frustração.

Exemplo: “As pessoas deveriam sempre ter a melhor aparência possível”.

Personalizar. Assumir tudo pessoalmente e se sentir responsável por coisas que na verdade estão além do seu controle. Personalizar faz com que você sempre se compare com os outros.

Exemplo: “Eles estão conversando sobre dietas porque acham que estou muito gorda” ou “Se ela pode ter esse visual maravilhoso, por que eu também não posso?”

Tirar conclusões precipitadas. Usar um pequeno fato como prova absoluta de uma questão maior. Por isso, você não tem de pensar nos outros aspectos da questão.

Exemplo: “Se eu não fosse tão feio(a), certamente teria conseguido o emprego” ou “Ele quer terminar o namoro porque sou feia”.

Pensar emocionalmente. Usar seus sentimentos para explicar o que ocorre no mundo exterior. Você supõe que suas emoções sejam um reflexo exato do que realmente está acontecedo.

Exemplo: “Hoje estou com péssima aparência, por isso todos vão me achar horrível”

Exagerar. Aumentar a importância de algo. Isso faz com que você justifique uma reação emocional desproporcional diante de um acontecimento sem importância.

Exemplo: “Estou totalmente deprimida porque meu cabelo está horrível” ou “Eu quis morrer quando ele me viu de maquiagem”.
Trecho do livro: Meu Corpo… Meu Espelho – Rita Freedman Ph.D

Para ler outras partes do livro clique aqui e aqui.

Uma ideia sobre “Pensar positivamente produz melhor aparência e melhor disposição de ânimo

  1. O problema maior está na NOSSA CABEÇA e não na nossa aparência. Mas é tão difícil ignorar esses pensamentos que dizem “sou feia, sou medonha, ninguém vai gostar de mim!” Temos que ter muita força de vontade para nos sentirmos bem e não nos afetarmos com esses pensamentos que são tão FORTES!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *