Preocupação com peso ou gordura não é Transtorno Dismórfico Corporal

Perder_Barriga-250x300

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais – DSM 5 – é o resultado de mais de 10 anos de trabalho de especialistas do mundo inteiro. A consequência desses estudos é o que há de mais atual em termos de classificação e diagnóstico na área da saúde mental.

O livro aborda os diagnósticos psiquiátricos e representa a base para a definição de doenças psíquicas. Contém informações úteis para todos os profissionais que atuam na área da saúde mental, incluindo psiquiatras, médicos, psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros e outros profissionais da área.

Vamos ver abaixo os critérios de diagnóstico de Transtorno Dismórfico Corporal que constam nesse manual:

Transtorno dismórfico corporal: Os indivíduos com transtorno dismórfico corporal preocupam-se com a percepção de um ou mais defeitos ou falhas em sua aparência física que não são observáveis ou parecem leves para os outros; essa preocupação frequentemente causa ansiedade social e esquiva. Se seus medos e a esquiva social são causados apenas por suas crenças sobre sua aparência, um diagnóstico separado de transtorno de ansiedade social não se justifica.

Critérios Diagnósticos 

A. Preocupação com um ou mais defeitos ou falhas percebidas na aparência física que não são observáveis ou que parecem leves para os outros.
B. Em algum momento durante o curso do transtorno, o indivíduo executou comportamentos repetitivos (p. ex., verificar-se no espelho, arrumar-se excessivamente, beliscar a pele, buscar tranquilização) ou atos mentais (p. ex., comparando sua aparência com a de outros) em resposta às preocupações com a aparência.
C. A preocupação causa sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo no funcionamento social, profissional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo.
D. A preocupação com a aparência não é mais bem explicada por preocupações com a gordura ou o peso corporal em um indivíduo cujos sintomas satisfazem os critérios diagnósticos para um transtorno alimentar.

Diagnóstico Diferencial: As preocupações como ser gordo são consideradas um sintoma do transtorno alimentar em vez de transtorno dismórfico corporal. No entanto, preocupações com o peso podem ocorrer no transtorno dismórfico corporal. Os transtornos alimentares e o transtorno dismórfico corporal podem ser comórbidos; nesse caso, ambos devem ser diagnosticados.


Com frequência, o transtorno dismórfico corporal é confundido pelas pessoas que possuem problema com a auto imagem relacionada ao peso. Porém, como vimos aqui na descrição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, para se ter um diagnóstico de transtorno dismórfico corporal a insatisfação não pode estar relacionada ao peso ou gordura. Porque assim, o diagnóstico passaria de “Transtorno Dismórfico Corporal” para “Transtorno Alimentar”. Não existe Transtorno Dismórfico Corporal relacionado à insatisfação com peso ou gordura. No transtorno dismórfico corporal, entre as queixas, a pessoa pode ter preocupação com o peso, porém a pessoa vai ser diagnosticada com transtorno dismórfico corporal e transtorno alimentar.

Metade do ano passado, a esposa do apresentador Tiago Leifert, Daiana Garbin disse que tinha dismorfia corporal. Ela se via com mais gordura do que realmente tinha, principalmente nos braços e não usava blusas sem manga. Porém, depois de alguns meses quando ela lançou o seu livro, ela explicou que não era dismorfia corporal, e sim transtorno alimentar. Justamente porque esse tipo de preocupação não se enquadra no transtorno dismórfico corporal.

daiana_garbin_dismorfia_transtorno_dismorfico_corporal1

Fonte da notícia sobre a Daiana: Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *