Imagem corporal é a representação mental que cada um faz de seu próprio corpo

Imagem corporal é a representação mental que cada indivíduo faz de seu próprio corpo; também conhecido como consciência corpórea. Segundo Karl Jaspers, filósofo e psiquiatra alemão, em sua publicação de 1913, “o corpo é a única parte do mundo que se sente e se percebe por dentro e é para mim um objeto e como me percebo como objeto”. Este autor já traz as primeiras definições de consciência corpórea: “tenho consciência do corpo, mas, ao mesmo tempo, posso vê-lo com os olhos e tocá-lo com as mãos”. Nesta publicação, Jaspers descreve quadros mentais capazes de promover a desorganização da imagem corporal, como os quadros depressivos.

A imagem corporal é construída a partir de dois pilares: a neurológica e a psicológica. E esta percepção corporal é construída e organizada pela associação dos sentidos corporais externos (visão, audição, tato) e internos (receptores de tendões, músculos e articulações), somada às representações mentais referentes ao corpo fornecidas pela cultura e pela história de cada sujeito.

Há uma região cerebral reconhecida por ser a sede da consciência corporal: é o lobo parietal. Lesões neurológicas, conhecidas como síndromes de negligência corporal, nesta região promovem quadros caracterizados por desorganização das percepções corporais, onde, por exemplo, perde-se o reconhecimento de partes do próprio corpo.

O desenvolvimento da consciência corporal ocorre progressivamente com a maturidade neurológica, e estas informações vão sendo somadas ao longo do desenvolvimento infantil até o desenvolvimento corporal definitivo, que usualmente ocorre na adolescência. Espera-se que nesta fase já tenhamos uma imagem, do ponto de vista neurológico, de nosso corpo, bem desenvolvida na região do lobo parietal. Embora para toda a vida, esta imagem poderá ser modificada diante de adversidades que mudem concretamente a constituição de nosso corpo, como ganhos e perdas de peso ou mesmo amputações de membros.

Vale ressaltar que a base neurológica não é suficiente sozinha para o desenvolvimento da imagem corporal, sendo esta, também determinada pelos aspectos psicológicos ao longo da vida. E até hoje não foi reconhecida nenhuma alteração neurológica que pudesse, por exemplo, justificar a distorção de imagem corporal encontrada em alguns transtornos alimentares.

Do ponto de vista psicológico, para uma adequada construção da imagem corporal é necessária uma boa construção da estrutura emocional do “eu” (ou self, como a psicologia costuma denominar).

A percepção do corpo refere-se mais à constituição e à organização de uma imagem sobre o corpo do que uma percepção objetiva propriamente dita, e esta construção da imagem corporal está sempre ligada a experiências afetivas impostas pela relação com o outro.

Paralelamente à construção da imagem corporal, ocorre a construção psicológica da autoestima e ambas estão intimamente ligadas, já que a autoavaliação da imagem corporal pode modular a autoestima. Quanto mais positivamente se autoavalia, melhor se constrói a autoestima.

E o desenvolvimento de ambas é determinado ao longo de nossa infância pelas referências externas que recebemos: pais, irmãos, familiares, professores, colegas de escola e outros relacionamentos íntimos similares.

Quanto mais precocemente se constrói uma autoavaliação positiva e, portanto, uma autoimagem positiva, mais seguro de si o indivíduo será, não somente o seu corpo, mas também os inúmeros parâmetros de autoavaliação.

Por Dr. Alexandre Pinto de Azevedo

3 ideias sobre “Imagem corporal é a representação mental que cada um faz de seu próprio corpo

  1. Quase um ano apos meu ultimo comentario e só piorou. Continuo desistindo da vida e de fato ja desisti: nunca apareço em fotos, nunca vou pra balada com amigos, nunca me arrumo, perdi a vonttade d tudo. Um amigo meu me comparou com um cara muito feio da internet, meu amigo nao sabe que a minha feiura me faz sofrer, entao pra ele é só uma brincadeira e eu finjo achar graça. Li seu post sobre cada ano que voce sofreu com sua aparencia e eu tb passei por isso: Na infancia nunca gostaram de mim, na adolescencia nao tinha ninguem, fase adulta só destruição daquilo que eu achei q era. Eu queria que a vida fosse breve pra mim, se acabasse agora eu seria tao feliz, teria a paz que sempre sonhei.

    • Eu não sei como você lida com isso no dia a dia, se busca uma forma de resolver o problema ou não, mas fiquei com vontade de falar, primeiro pq 24 de julho é meu aniversario isso me chamou atenção, depois pq passei e passo por isso aí que vc descreveu, hoje tô bem melhor! (embora ainda falte muito a se resolver). Te escrevo como se estivesse falando com o meu próprio eu do passado, num momento bem complicado:
      Você tem um problema real que tem uma solução real procure ajuda, busque um psicologo, desabafe até onde consegui com amigos, assim um pouquinho de cada vez, escreva sobre suas aflições e angustias, não precisa mostrar pra ninguém, tudo que você almeja é possível você só está acostumado a olhar sobre um ponto de vista equivocado, você aprendeu assim e se acostumou com isso, qualquer pensamento diferente lhe parece falso, mas não é! Você apenas se acostumou a acreditar na historia errada!

  2. Vale ressaltar que a base neurologica nao e suficiente sozinha para o desenvolvimento da imagem corporal, sendo esta, tambem determinada pelos aspectos psicologicos ao longo da vida. E ate hoje nao foi reconhecida nenhuma alteracao neurologica que pudesse, por exemplo, justificar a distorcao de imagem corporal encontrada em alguns transtornos alimentares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *